A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Minas Gerais (FCDL-MG), promoveu nesta sexta-feira (14), uma live com o governador do estado, Romeu Zema, para esclarecer os principais pontos da nova fase do programa Minas Consciente.

Ao lado do secretário-adjunto de desenvolvimento econômico, Fernando Passalio, Zema falou sobre as mudanças no programa e apresentou novidades no plano de retomada das atividades econômicas do estado.

A live

Conduzida pelo presidente da FCDL-MG, Frank Sinatra, a live teve duração de cerca de 45 minutos. O gestor da Federação abriu a videoconferência dando às boas-vindas ao governador mineiro.

“Quero agradecer sua presença e reafirmar que a FCDL-MG está à sua disposição, como sempre esteve. Parabéns pelo seu governo e pela sua atuação diante desta crise. A nova fase do Minas Consciente já é um sucesso. Creio que cada vez mais iremos avançar. Nosso agradecimento também ao Fernando Passalio, que tem feito um trabalho excelente com as nossas entidades em prol do desenvolvimento econômico”, destacou Frank na abertura.

Da sede do governo de Minas Gerais, na cidade administrativa, Zema retribuiu a cordialidade, ressaltando a parceria de longa dada com a nossa entidade.

“É um prazer estar participando com vocês, uma entidade tão importante, que representa tão bem os comerciantes do nosso estado. Estamos juntos há um longo tempo. Durante a campanha estive presente na FCDL-MG e tenho certeza de que ocupo o cargo aqui hoje, muito devido ao apoio da categoria, que tanto sofre e eu sei bem quais são as dores”, respondeu o governador.

Zema deu prosseguimento destacando as medidas do governo no controle da pandemia. Além do investimento em saúde, o governador ressaltou as medidas de seguranças tomadas e se mostrou otimista quanto ao futuro.

“Desde o começo da pandemia investimos na compra de respiradores, na recuperação de leitos desativados. Então, com certeza um dos legados que essa pandemia vai deixar é o sistema de saúde fortalecido. Empurramos o pico da curva para frente, e talvez estejamos exatamente nesse momento com o maior número de casos e óbitos. Mas já começamos a sentir um declínio. É muito difícil prever um fim da pandemia, mas já estamos sentindo que estamos no segundo tempo do jogo. E isso nos torna cheio de esperanças, porque o pior, muito provavelmente, já ficou para trás. Mas não podemos abrir mão das medidas que nos fizeram chegar até aqui, como o distanciamento social, o uso de máscara, as medidas de higienização. Isso com certeza vai ser necessário por mais alguns meses. Ainda não da pra pensar em relaxar”, alertou Zema.

Na sequência, pontuou os esforços estaduais para manutenção da economia e preservação de empregos.

“Nós sempre enxergamos que deveríamos procurar salvar empregos, porque eles são importantíssimos. Não tanto quanto vidas, mas sem empregos as pessoas adoecem, não tem o que comer. Por isso agimos rápido. As empresas do Simples tiveram prorrogação no pagamento dos seus impostos, o BDMG emprestou valores recordes para as micro e pequenas empresas nos últimos meses e além disso conseguimos trazer uma quantidade recorde de investimentos para Minas Gerais. E continuamos trabalhando para desburocratizar e simplificar a vida de quem produz. Com isso, o estado deixa de ser aquele agente hostil que perturba e cria problemas para quem investe e passa a ser apenas um agente regulamentador e não mais um complicador”, avaliou o governador.

Minas Consciente

O secretário-adjunto de desenvolvimento econômico, Fernando Passalio, falou sobre a nova fase do Minas Consciente, plano de retomada das atividades econômicas no estado e, ainda, anunciou uma novidade que será testada nos próximos 15 dias do plano: a possibilidade de mudança de onda pelas cidades que contam com hospitais da rede suplementar (privada). 

“Ontem nós tivemos a publicação da Deliberação nº 78 e essa deliberação tem trazido algumas dúvidas. Quero aproveitar o espaço que a FCDL-MG está nos dando e toda capilaridade da entidade para gente levar essa informação ao maior número de municípios. A Deliberação nº 78  trouxe uma grande inovação. Agora, a rede suplementar de saúde, aquela que é exclusivamente suplementar, aquela que só atende particular e convênio, ela será considerada para o cálculo dos indicadores de leitos. Então, durante os próximos 15 dias nós vamos fazer um estudo sobre a disponibilidade de leitos e assistência da rede suplementar e, depois, nós vamos soltar algumas alterações do plano. Bom, o que isso traz de novidade? Durante os próximos dias as microrregiões que possuírem hospitais da rede unicamente suplementar poderão evoluir de onda utilizando-se regras próprias do município e o Minas Consciente de forma subsidiada. É importante frisar aqui, por exemplo, municípios como Governador Valadares, que estão oficialmente na onda vermelha, poderão, durante esses 15 dias, se assim quiserem, optar pela onda amarela”, anunciou Passalio.

“Estamos analisando também e evoluindo para outras análises e na semana que vem deveremos ter mais novidades em relação ao plano”, completou o secretário-adjunto.

O secretário ainda destacou a importância da adesão ao plano por parte dos municípios para melhoria dos indicadores em cada região.

“Atualizando os números do plano, estamos com 496 municípios, com certeza fecharemos essas sexta-feira com 500 aderidos ao planos. Quase 12 milhões de mineiros impactados pelo plano.O que nos deixa mais que satisfeitos, uma vez que está mais do que provado, que quanto mais cidades aderidas ao plano, melhores tem sido os indicadores dessas macrorregiões. Isso tem sido um fator primordial para gente trabalhar e da todo o suporte as prefeituras que quiserem aderir ao Minas Consciente”, avaliou Passalio.

Perguntas e respostas

O governo federal tem se empenhado em regulamentar o teletrabalho. Nesse sentido, qual a posição do governo estadual?

O teletrabalho veio para ficar. Muitos hábitos já foram mudados. O meu sentimento é que muitos funcionários públicos, e mesmo funcionários do setor privado, vão passar a dedicar boa parte das suas atividades, ou exercê-las, dentro de casa. Muita coisa é possível ser feita a distância. A presença física é necessária em algumas ocasiões, mas no dia-a-dia, na rotina, é bem provável que essa prática venha para fica. E vale lembrar que ela nos torna muito mais produtivos. Estamos hoje fazendo essa videoconferência, você no seu local de trabalho e eu aqui no meu. Se fosse presencial, eu teria um deslocamento de pelo menos 40 minutos para ir, mais 40 para voltar para estar aí presente. Então, apesar de toda a tristeza, essa pandemia vai ter como legado algumas mudanças de hábitos que vão fazer com certeza que a nossa sociedade fique mais eficiente.

Como funciona a mudança de ondas no Plano Minas Consciente?

1ª forma: quando temos a deliberação todas as quartas-feiras, pelos indicadores, em que a macrorregião avança de onda ou recua. Então se a macro avançar, todos os municípios desta macro podem avançar também.

2º forma: quando a macro estiver em uma onda pior e a micro estivar com bons indicadores, aquela micro pode avançar para além da macro. As vezes as macro está na onda vermelha, mas a sua cidade faz parte de uma micro que pode avançar para uma onda posterior, sua cidade pode avançar.

3ª forma: quando o município tem menos de 30 mil habitantes e possui menos de 50 casos para cada 100 mil. Hoje, dos mais de 600 municípios que se enquadram nesse critério dos 30 mil habitantes, 352 que podem avançar para  onda amarela.

4ª forma: esta é provisória. Diz respeito a esses 15 dias que começaram a contar a partir de ontem e aos municípios em que os municípios que tiverem hospitais da rede suplementar. Estes poderão, durante esses 15 dias, fazer esse avanço provisório.

O planejamento e a execução da retomada da economia precisa de uma articulação entre governo e a sociedade civil organizada. Como o senhor vai trabalhar nesse assunto?

Eu diria que desde o início a sociedade civil tem participado. Quando fomos criar as regras do isolamento, em março, tivemos conversas com a maiorias das entidades e acatamos várias sugestões que foram determinantes para que nossa taxa de óbitos fosse menor. E continuamos fazemos isso. Abrimos há alguns dias a audiência pública do Minas Consciente. Foi a audiência com o maior número de sugestões e participações da sociedade civil e das entidades de classe. Estamos sempre abertos à essas sugestões.

FCDL-MG no projeto de retomada econômica no pós-pandemia

Como mencionado pelo governador, a atuação da FCDL-MG junto ao executivo estadual foi sempre muito ativa. E no projeto para a retomada da economia após a pandemia não poderia ser diferente. Foi solicitado pelo governo estadual um documento com todos os principais pontos que a Federação acha que devem ser contemplados no plano de recuperação econômica do estado. Nossa entidade enviou o ofício, destacando todas as principais demandas dos empresários mineiros e das CDLs de todo estado. Afinal, é nosso dever lutar pelos interesses dos nossos associados.

CLIQUE AQUI e assista a live completa